As sondagens do solo do tipo SPT são ensaios que servem de parâmetro para o dimensionamento de qualquer fundação. É com os dados obtidos através da sondagem que o projetista vai poder definir o tipo de fundação a ser aplicada e seus comprimentos.

É a técnica de investigação geotécnica mais popular, devido ao baixo custo e à simplicidade do equipamento, além de possibilitar em uma única operação:

  • a retirada de amostras;
  • a determinação do nível de água;
  • a medida de resistência à penetração, que pode ser correlacionado com métodos semi-empíricos de projeto.

Para cravar o barrilete (amostrador onde a amostra de solo é retirada de metro em metro), é usado o impacto de uma massa metálica de 65 Kg, denominada martelo, caindo em queda livre de 75 cm de altura sobre um ressalto situado na parte superior do hasteamento a ele conectado. O resultado do ensaio SPT corresponde à quantidade de golpes necessária para fazer penetrar, no fundo do furo, o barrilete amostrador nos seus últimos 30 cm. São feitas anotações da penetração do barrilete em centímetros, quando o martelo é simplesmente apoiado ou golpeado sobre o ressalto. A medida correspondente à penetração obtida por simples apoio ou zero de golpes pode ser expressiva em solos moles. Na penetração, por batida do martelo, é contado o número de golpes aplicados para a penetração de cada terça parte (aproximada) dos 45 cm do barrilete amostrador. Em cada teste, deve ser feita a penetração total dos 45 cm do barrilete  ou até que a penetração seja inferior a 5 cm após 10 golpes consecutivos, não se computando os cinco primeiros golpes do ensaio, ou quando o número de golpes alcançar 50 em um mesmo ensaio. A cada SPT, prossegue-se o avanço da sondagem empregando-se o trado (acima do nível de água) ou lavagem (abaixo do nível de água) até a profundidade do novo ensaio.

 

O QUE O CLIENTE DEVE FICAR ATENTO

Quando contratar uma empresa de sondagem para realizar o serviço em sua obra, você deverá ficar atento a alguns itens:

1° – Verticalidade do Equipamento e Hastes.

Caso isso não esteja o mais vertical possível o resultado será adulterado devido a perda de energia entre o Martelo e as hastes.

2° – Altura de queda do Martelo.

Obrigatoriamente o martelo precisa ser levantado a uma altura de 75 cm, a qual é marcada na haste, e cair em queda livre sobre o soquete de bater. Caso essa altura não seja respeitada os valores encontrados também serão falsos e sua sondagem não mostrará a realidade do solo.

3° – Hastes

Elas precisar estar nas medidas corretas, geralmente com trechos de 1 e 2 m. Caso haja divergência, a profundidade ensaiada não será correta também.

4° – Tripé de Sondagem.

O tripé precisa estar em perfeita condições com as pernas retas, as roldadas deslizando normalmente, os cabos de aço sem danos e permitir que ele fique o mais vertical possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *