O texto de hoje inicia com um estudo realizado no Rio Grande do Sul no qual foram analisadas as obras que apresentaram problemas nas suas fundações, gerando diversas dificuldades posteriores como um todo, e constatou-se que a origem do problema se deu na seguinte proporção:

1° – Sondagem –  34,5 %

2° – Eventos Pós Conclusão – 28,90 %

3° – Análise e Projetos – 20,7 %

4° – Execução – 15,9 %

Dessa forma, entendendo que fica muito clara importância da SONDAGEM para as obras, levantamos ainda outras evidências que devem ser levadas em consideração durante a execução das SONDAGENS. São elas:

  1. a) Profundidade de investigação insuficiente

O ensaio é encerrado na primeira camada resistente encontrada, sendo que logo abaixo o solo volta a amolecer. Isso faz com que o projetista tenha parâmetros errados e dimensione a profundidade das estacas de maneira insuficiente.

  1. b) Contagem errada dos números de golpe

A equipe de sondagem faz a contagem do número de golpes de maneira errada, ou aumentando ou diminuindo os golpes. Isso altera a realidade das resistências das camadas, também induzindo o projetista a erros nos dimensionamentos.

Esse levantamento nos mostra o quão é importante que uma sondagem seja realizada dentro de todas nas normas da NBR 6484 – Sondagens de Simples Reconhecimento de Solo com SPT. Por isso a Fastenge Fundações prioriza ensaios que sigam rigorosamente as recomendações da Norma, instruindo seus funcionários para que tenham a máxima atenção na execução e verifiquem diariamente se o equipamento está em perfeito estado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *